quinta-feira, 7 de abril de 2016

5 hábitos financeiros dos jovens que todos deveriam imitar

Jovens de qualquer geração costumam ser taxados de irresponsáveis. O esteriótipo aumenta quando falamos da Geração Y (pessoas que nasceram entre 1981 e 1995). Essa geração é considerada por muitos como demasiadamente hedonista. Porém, não é isso que as pesquisas sobre o assunto apontam.
Pesquisas realizadas pela Fidelity e pela Better Money Habits mostram que os jovens entre 21 e 35 anos são extremamente preocupados com o futuro — 38% se sentem ansiosos, com medo e até sobrecarregados em relação a dinheiro.
Mudanças na sociedade influenciam a mudança dos hábitos. Atualmente, não há mais certeza de uma carreira estável ou de uma aposentadoria confiável. Ao mesmo tempo, há excesso de informação e ferramentas disponíveis.

Conheça 5 hábitos financeiros da Geração Y:


Gerenciam suas finanças

Grande parte desses jovens controlam suas finanças pessoais, gerenciando as contas em aplicativos de celular. Além da preocupação em relação ao dinheiro, a familiaridade com a tecnologia e a quantidade de conhecimento disponível online incentiva este hábito nos mais jovens.


Guardam dinheiro para o futuro

Segundo a pesquisa da Fidelity, mais da metade desses jovens estão economizando dinheiro para o futuro e não contam com a aposentadoria para garantir uma velhice confortável. Ao mesmo tempo, 43% tem medo de não estar guardando o suficiente.

Não aceitam o primeiro preço

Não é que os jovens da Geraçao Y sejam mestres da pechincha. O que acontece é que eles tem a cabeça aberta e não aceitam o caminho tradicional. Eles utilizam sites de comparação de preços, pesquisam em diferentes lojas, se informam sobre como economizar e investem em soluções alternativas e inovadoras. E o resultado? Acabam gastando menos em suas compras

Falam abertamente sobre dinheiro

Esta geração é menos conservadora e se importa menos com regras e tabus sociais. Isso faz com que eles falem abertamente sobre dinheiro com amigos, cônjuges e familia. Isso leva à troca de informação e incentiva as pessoas a darem mais atenção às suas finanças.


Focam em experiências e não em bens materiais

Várias pesquisas, como a realizada pela Cornell University, nos Estados Unidos, apontam que experiências trazem mais felicidade que bens materiais. Claro, possuir alguns bens pode ser importante, mas as prioridades desses jovens mudaram. O foco não é comprar um carro melhor, roupas de marca ou a casa dos sonhos, mas vivenciar e compartilhar experiências.